Jesus, nosso único amor

Jesus, nosso  único amor
Olhai sempre por nós

Sejam bem vindos e mergulhem no Amor de Deus por nós!

Tudo por um mundo cheio do Amor Incondicional de Deus por nós. Mudemos o mundo levando as imagens invisíveis do Céu para a humanidade que hoje só crê nas imagens visíveis.

ZELAR PELA MÃE TERRA

ZELAR PELA MÃE TERRA
Minha doce Mãe, te ofereço essas flores!

sábado, 3 de março de 2012

"Vinde a nossa mesa! Jesus parte o pão e vos oferece e vos oferece Seu sangue! Ele vos dá ainda uma vez mais a si mesmo". Vinde a nossa mesa! Jesus parte o pão e vos oferece e vos oferece Seu sangue! Ele vos dá ainda uma vez mais a si mesmo.




198. - A pequena casa que agora se encontra em Loreto, é a maior relíquia.

Aqui estais, vindos nesta casa, e Eu, Myriam, volto às minhas recordações para vós: estou com Jesus na pequena e querida sala, talvez pobre para quem a pudesse ver hoje, para Mim belíssima: ali estavam os sentimentos de amor que sentíamos  um pelo outro! Jesus, José, Eu diante da mesa e sobre a mesa uma vasilha cheia  de azeitonas, um pão e um pouco de queijo...

Quando entrarem, um a um, cada um com seus pensamentos, vos  acolheremos com os braços abertos, Jesus, José e Eu: "vós não podereis nos ver mas estaremos junto a vós! Entrai e deixai diante de Nós toda vossa preocupação. Nós nos ocuparemos de vós e por vosso bem!".

Cada um tem suas aflições, cada qual tem suas provações: os degraus até esse Reino. O infinito que um anjo vos prometeu, o prêmio belíssimo do qual vos fala Jesus: Ele disse: "Meu reino não é deste mundo...". E vos  criou, no  Pai, um Reino maravilhoso em vosso mundo de um amanhã eterno. A felicidade para sempre, para sempre!

A cada um sua provação, os pensamentos, o pesar... Para agradecer-vos vossa visita e vossos sentimentos de amor vos damos a paz, vos damos a serenidade, aumentamos em vós a fé: pães com mel e cevada!

Vinde a nossa mesa! Jesus parte o pão e vos oferece e vos oferece Seu sangue! Ele vos dá ainda uma vez mais a si mesmo.

Era uma criatura e como outras criaturas, tinha sentimentos humanos que me faziam sofrir ou me alegrar. Quando Jesus estava no Céu e estava sentado ao lado do Pai na glória, Eu, que esperava voltar a encontrá-lo sofria a saudade de Sua presença viva (mesmo estando Ele presente em Espírito) e em Éfeso, e depois em Jerusalém, pensava em Nazaré e na pequena casa.

A pequena casa é a maior relíquia. Eu pensava naquele tempo, repassava minhas lembranças mais doces: horas de saudade... No entanto sabia que o tempo é  uma viajem até a Eternidade e que, depois, teria de reencontrar o que amava.

E na glória de minha assunção  encontrei outra vez  meu Filho: "Mãe!" e se iniciou minha glória! A vós  digo-vos que espereis, que tennhais sempre fé, é para vós este dom: pão com mel, cevada, azeitonas, rosas de nosso jardim! Mais serenidade, mais paz, mais fé!

Nosso presente para vós: a esperança.

Não poderia nunca imaginar o que, no tempo, Me teria sucedido: o amor que também vós me traríeis: "Mãe, virão muitos para rogar, chorar, pedir! Virão à esta casa e Nós lhes escutaremos, lhes ajudaremos, os consolaremos..." Então não tinha compreendido e agora vivo essa grande verdade.

A chama iluminava o rosto de Jesus menino e Eu, com José, o contemplava: "Ele é Deus e vive nesta pequena casa...". "Mãe, esta casa voará!".

A maior relíquia para vós. E estamos agradecidos por vossa visita!

Loreto, 31 de Abril de 1985


2 comentários:

Derecho a vivir Argentina disse...

Hola mi hermosa y querida Regina. n
Vengo a visitarte y a dejarte aviso de un premio que debes retirar de mi blog: http://estrellitavidasi.blogspot.com/2012/03/premio-lebster.html
Espero te ponga contenta, he debido compartirlo con amigos y fuiste mi prmier pensamiento!
Dios te bendiga, gracias por todo
Laura

Regina disse...

Olá, minha querida Laurinha, você é sempre um presente para mim quando compartilha algo, toda sua vida dedicada ao Reino de Deus, tudo que faz por seu povo, especialmente a luta pela vida. Que o Senhor Jesus pelas mãos da Virgem Maria continue derramando bênçãos sobre você e seus amados. Da amiga de sempre Regina