Jesus, nosso único amor

Jesus, nosso  único amor
Olhai sempre por nós

Sejam bem vindos e mergulhem no Amor de Deus por nós!

Tudo por um mundo cheio do Amor Incondicional de Deus por nós. Mudemos o mundo levando as imagens invisíveis do Céu para a humanidade que hoje só crê nas imagens visíveis.

ZELAR PELA MÃE TERRA

ZELAR PELA MÃE TERRA
Minha doce Mãe, te ofereço essas flores!

terça-feira, 30 de março de 2010

QUARESMA - JESUS FALA ÀS ALMAS PEQUENAS

Mensagens de Jesus à Margarida.

Quando rebentou a Grande Guerra, Margarida tinha apenas seis meses. O ano era 1914.
Aos 19 anos ele se casou.Teve dois filhos, uma menina e um menino. Na eclosão da 2ª. Guerra Mundial, sua mãe ficou gravemente doente, como resultado deste, Margarida vai em peregrinação a um santuário e promete à Sma. Virgem voltar sempre se sua mãe for salva. Coisa que aconteceu e, como ela tinha pedido à Virgem. Então começa sua vida interior.
Um dia, Jesus chamou-lhe carinhosamente de pequena alma, ignorante em matéria religiosa, mas muito amada por Deus. Margarida, cujo nome diz, é um pseudônimo, começou uma vida de graça especial. Jesus Cristo foi manifestando através de suas palestras, diálogos, em que o Mestre lhe ensinava e lhe pediu a formação de uma Legião de Pequenas Almas e Simples, para salvar a humanidade.
Mais tarde, seus conselheiros espirituais, aconselharam-na desde 1964, a que escrevesse as suas conversações dia após dia. Impressionado com o seu conteúdo, ela foi convidada para escrever tudo a partir de 7 de agosto de 1965.
Desde então e até esta data já foram impressos 4 volumes dessas discussões de Margarida e Jesus, sempre apoiada pelas autoridades eclesiásticas competentes.
Hoje Margarida ainda está trabalhando no Centro Internacional de Chevremont e daí dirigido a todas as Almas Pequenas do mundo.
"Trabalhando para a Glória de Deus e para agradar o nosso amado Salvador, que é o objetivo que nos une a meu pai e eu" (Margarita Autobiografia).

O DIÁRIO DE MARGARIDA E OS SEUS DIÁLOGOS COM JESUS

ANO DE 1965


J Encontrarás força e consolação junto do Padre que te orienta. Preciso de instrumentos variados.
Fazes parte da minha Obra. Ele também.
J Eu não sou o Mestre do amor. EU SOU O AMOR. O amor é mais forte do que o ódio. Tem
confiança, o Amor vencerá o mundo.
J Só alguns eleitos me amam. Tu fazes parte deles. A multidão não me pertence verdadeiramente.
(A propósito duma comunhão concedida a uma pessoa cujas disposições, manifestamente, não correspondiam às exigências.)
J Dar-me a um pecador endurecido é um sacrilégio.
Dei aos meus filhos a liberdade de escolher entre o bem e o mal. Um só ato de arrependimento é a
porta por onde Me precipito na alma ferida do pecador. Não derramei Eu o meu sangue por todos?
J A confiança produz o amor e o amor produz a santidade.
O amor é feito de renúncia e de sacrifício.
O que Me ama, já não pertence a si, pois entregou-se ao Amor.
(A minha santidade consiste em aceitar com amor sentir-me a mais baixa das criaturas, em reconhecer a minha impotência, em ser o nadinha de Jesus)
J Minha filha, a santidade não consiste em ser, mas em aceitar não ser. Só Eu santifico, e, sem Mim,
todo o esforço é vão. Vou e venho. Dou e tiro. Elevo e humilho. As humilhações são necessárias.
Exalto e rebaixo. Sob os meus golpes, a alma fica aniquilada. E é então que conduzo pelo caminho da
santidade e que faço minhas as potências do seu ser.
J Minha querida filha, rezando pelos outros, é por ti que rezas. O bem que lhes fazes é a ti que o fazes.
J O ser humano não pode ser rico aos meus olhos senão das riquezas que Eu lhe ofereço. O resto
perde-se na poeira dos tempos. Fora dos bens do céu, tudo é nada, tudo é vaidade.
Minha filha, o mundo não pode viver sem Mim.
J Tornaram-se incrédulos os meus sacerdotes? Já não lhes basta a fé pura e simples.
Produziu-se no seio da minha Igreja uma grande perturbação. Excessos lamentáveis são
consequências disso. É preciso rezar, rezar, sem cessar. Tudo deve entrar na ordem.

17/09
M Como posso eu praticar a mortificação e a penitência?
J Com uma justa medida, adaptada ao meio em que vives.

21/10
J As aparências são enganadoras. O que brilha aos olhos do mundo é vão para o Céu

27/10
J És apenas um nadinha, mas esta coisa de nada Eu uni-a ao meu Tudo.
Pede. Conceder-te-ei. Dá-Me muito amor... nunca Me darás bastante. Reza muito pelos teus irmãos,
não deixes de rezar.
Tudo se deve fazer por amor e no amor.

12/11
J Praticas a humildade, minha filha, é uma virtude que me é particularmente querida. Nunca te exaltes.
As pequenas atenções que tens para coMigo são um bálsamo para as minhas feridas

22/12
(A respeito duma missa chamada “realçada” pelo brilho tonitroante duma banda local)
J O recolhimento não se encontra no tumulto, ao som da bateria.
Esta música é profana e causa-Me um profundo desagrado.
Não Me entrego senão no silêncio e na oração.

ANO DE 1966

05/01
J Os filhos! Os filhos dos homens em quem tenho complacência e ... que Me rejeitam.
Não se deve imitar a avestruz que esconde a cabeça para não ver nem ser vista. É preciso olhar de
frente para a realidade e, com energia, dar remédio ao mal que não pára de crescer no seio da minha
Igreja.
Perde-se o sentido do divino, o modernismo exagerado destrói a própria vida da graça em numerosas
almas. O Bispo deve usar da sua autoridade, que é a minha, para por freio aos abusos de que se
tornam culpáveis alguns de meus sacerdotes.

06/01
J Eu, o Rei dos reis, porque terei de esperar o arbítrio dos homens? Não lhes posso tirar os poderes
que lhes dei. Alguns deles já não têm o respeito do meu Santo Nome.
Ó minha filha, se tu visses como Eu o fundo das almas! Quem faz penitência?
Cada um julga-se sem pecado e superior aos outros.
Muito poucos rezam pelo seu progresso espiritual e para serem preservados do mal.

10/03 - Oração
J Eu sou o Rei dos corações. Sou a Alma das almas.
Eu sou a ternura desconhecida.
Felizes aqueles que põem em Mim a sua confiança.
Felizes aqueles de quem sou a única esperança,
Hoje, a tua norma: sê alegre no amor. Oferece tudo completamente, não Me recuses nada.
Minha filha, a mortificação é o sal da devoção. Sem este tempero, torna-se insossa e insípida.

21/03
(Pensava no meu passado)
J Era preciso que em ti brilhasse a minha misericórdia. Mas não tenho Eu o poder para te renovar? ... ...
M Porquê? Meu Deus, porquê?
(Imediatamente respondeu)
J Perguntei Eu porquê a meu Pai? Não sou Eu também vítima? Permiti isto, a fim de que não te julgues
um anjo sobre a terra.
(Muito meigo, acrescentou:)
J Filhinha, a tua alma está intacta.

22/05
J Assim vai a vida. Os homens correm atrás dum sonho que nunca alcançam. Procuram a felicidade
na desordem. Não encontram senão tristeza e decepção.
Bem vês, os homens agitam-se em vão. Eles são como bonecos a quem o diabo puxa a corda. O
materialismo apodera-se de todos, incluindo os meus próprios eleitos. Há cada vez menos lugar para
a oração na vida humana.
O mundo precisa de um calmante. Este calmante conseguirá pelo dia de oração que peço.
Acalmar não quer dizer curar. Mas é preciso que a voz dos maus seja dominada pelo grito de amor
dos justos.

29/05
J A minha Santa Mãe está entre Mim e os homens. Ama-A e reza-Lhe com toda a tua alma, pois Ela é
a tua Mãe e ama-te com amor de predileção. Lembra-te sempre que foi Ela que Me colocou nos teus
braços e que te deu a Mim.
J Cada frase dos teus escritos, tendo um alcance considerável, deve ser submetida à apreciação dos
teólogos, examinada com grande atenção e aprovada por eles, antes de ser oferecida em alimento às
almas pequenas.



01/07
J O que dá importância à minha Palavra é o efeito que ela produz nas almas, e o bem que elas recebem
dela.
Antes de chegar ao estado de perfeição, é preciso passar primeiro por um estado doloroso de lutas e
de renúncias incessantes.
Mas a minha graça provê a muitas coisas, que parecem insuperáveis à natureza humana.

16/09
J Nem sempre os bens que vêm duma ação levam os homens à compreensão.
Às vezes, a verdade ofusca certas almas pouco avançadas na virtude e abnegação. É porque os
homens ignoram a alegria e a beleza duma vida toda de amor e de luz, que eles se sentem felizes com
sua vida miserável. À hora da morte dão uma volta sobre eles próprios, então vêem a inutilidade do
que fazia a sua felicidade na terra.
J Tudo é tão simples para os filhos da Luz. Nada os espanta, nem o bem nem o mal.
Apoderam-se ansiosamente do bem e afastam-se com horror do mal. Buscam suas forças nas
profundezas do meu amor.

23/09
J Os que rezam e não põem em prática o que ensinam as suas orações, não serão escutados.
O gesto simbólico da minha Santa Mãe a oferecer-Me a ti, pode ser renovado para todos os homens,
se eles o desejarem.
Obterão misericórdia os que se humilharem diante de Mim e reconhecerem as suas culpas com justa e
sincera contrição.
Tenho horror aos hipócritas.
Os tíbios, vomito-os.
São mais culpáveis os que pecam com a intenção de se lavar ao receber o sacramento da penitência,
mas nada fazem para evitar o pecado, do que os que pecam por ignorância, não sabendo que Me
ofendem.
O que faz a beleza e a harmonia duma alma, é a sua confiança em Mim, a sua constância em Me
pedir, o seu temor em Me ofender.

28/09
M Meu Bem-Amado, gostaria tanto que todo o mundo Te amasse!
J Minha bem-amada, gostaria tanto de ser amado por todos.
Não se pode ser fiel ao seu Deus, sem cumprir primeiro os deveres que Lhe são devidos.
Eu peço ao Clero um meia-hora cada dia para a recitação do terço em comum. As graças altas
que conseguirão, compensarão o que alguns chamam uma perda de tempo.
Julgam eles que é nada o dar à minha doce Mãe este testemunho da sua afeição?
A ti, minha filha, peço que rezes muito, a fim de que não Me dirija a surdos.
Não se estabelecerá a paz no mundo senão pela justiça e pela bondade.
Reza, a fim de que os homens compreendam esta verdade.
Há lobos no meu redil. E como andam cobertos com pele de ovelha, os próprios justos se sentem
abalados. Uma ameaça pesa sobre os meus cordeirinhos.
É preciso um sexto sentido para desmascarar o intruso. Mas Eu sou o Bom Pastor, e protejo as
minhas ovelhas.

23/12
J Minha filha, aprende-se a amar a Deus pelo conhecimento do próprio nada.
Meditação
Somos nós mais que nada? Sim, mas pela graça de Deus. Como ter por nada uma criatura que beneficia do imenso privilégio de ser o objeto de tanto amor da parte do seu Criador? Porém, não é menos certo que, por nós próprios, não somos nada, visto que, como diz o apóstolo Paulo, é só de Deus que temos o movimento, o ser e a vida. Deus, não podendo amar o nada, se nos ama, não pode ser senão porque somos a obra das suas mãos: Ele criou-nos à sua imagem e semelhança. É este reflexo de Si Próprio que ama em nós e pelo qual nos retirou do nada.

3 comentários:

JC disse...

sou seguidor da Legião ds almas pequenas. Gosto do seu trabalho.
Tenho pena não poder ter acesso a outros tetxos.

peqalmachile disse...

Olá pequenas almas
Convidamo-lo a revisar a página da América Latina para que possamos ser ligados:

http://peqalmachile.wordpress.com/

Daí podemos continuar a partir Facebook e Twitter.
Ajude-nos a enviar-nos informação para publicação na sua página do país

Saudações

minutos de meditação disse...

Gostei muito deste Blog. E sugiro que deem uma lida em outro Blog da Legião das Almas Pequenas, como complemento deste, pois quanto mais propagação deste maravilhoso apostolado melhor:
www.minutosdemeditacao.blogspot.com